Dicas para evitar o efeito sanfona

Iniciar uma dieta é muito fácil, difícil é segui-la e mais difícil ainda alcançar o objetivo. São inúmeros fatores que nos levam a desistir de continuar a dieta. A estagnação do peso, a vontade de comer o que desejamos.

Para conseguirmos alcançar nosso objetivo, temos quer determinação, força de vontade e disciplina. Temos que sempre valorizar as mudanças, mesmo que sejam pequenas. Se perdermos dois quilos, e nosso objetivo for 10 quilos, temos que pensar agora só faltam 8 e assim sucessivamente.

O organismo mantém uma espécie de memória metabólica, com a tendência a retornar ao estado anterior, após sofrer alteração. Sendo assim, após passarmos por um processo de emagrecimento, devemos enfrentar um período prolongado (entre 2 e 3 anos) de reeducação alimentar, dando oportunidade ao corpo de esquecer os padrões anteriores para não recuperar o que emagreceu. O efeito sanfona é responsável pela flacidez da pele.

Dicas-para-evitar-o-efeito-sanfona-01

Dietas mal elaboradas provocam efeito sanfona

Durante a dieta restringimos vários grupos de alimentos achando que assim emagreceremos mais rápido, ficamos períodos longos em jejum. Tudo isso esta errado, temos que aprender que temos que comer de tudo, mas em quantidades menores, pois se esperarmos até alcançar nosso objetivo para comer aquilo que amamos, logo desistiremos da dieta. Períodos longos em jejum só servem para reduzir nossa nosso índice de massa magra. O organismo vai buscar nos músculos a energia necessária para realizar tarefas vitais, pois não sabe quando nos o reabasteceremos. Essa energia que não foi gasta será armazenada em forma de gordura. Quando maior for o índice de massa magra mais energia gastaremos mesmo estando em repouso. Cada quilograma de massa muscular requer aproximadamente 100 kcal por dia só para se manter!

Uma dieta onde o foco principal é a balança e não gordura corporal será sempre um fracasso. O metabolismo diminui seu ritmo porque pensa que não terá energia suficiente para manter-se. Quando você inicia uma dieta hipocalórica, as enzimas responsáveis pelo armazenamento de gordura se proliferam para poderem guardar a maior quantidade de gordura possível. Você não consegue perder células de gordura. Você consegue esvaziar estas células, mas não perdê-las.

Nosso organismo funciona através de estímulos, quando não vemos mais os ponteiros da balança descerem é porque temos que mudar o ritmo e frequência da atividade física e fazer algumas mudanças na alimentação. Por isso é importante o acompanhamento de um médico especialista. Ele irá mostrar alternativas e motivações para que o objetivo seja alcançado.

Devemos anotar tudo que comemos, quando o ponteiro subir, vamos consultar nosso “diário alimentar” para corrigir o que esta errado. Provavelmente estamos comendo algum alimento em quantidade e frequência maior.

Devemos abusar dos alimentos que nos auxiliam nesse processo longo e cansativo.

Devemos incluir em nosso consumo diário alimentos que acelerem nosso metabolismo. Esse alimentos são chamados de termogênicos. Alimentos termogênicos: aumentam o gasto calórico do organismo durante a digestão e o processo metabólico. Pimenta vermelha, gengibre, chá verde, chá de hibiscos, alimentos ricos em ômega 3 fazem parte desse grupo.

Dicas-para-evitar-o-efeito-sanfona-02

Aposte em alimentos de baixo índice glicêmico, liberam açúcar em menor quantidade no sangue. Os alimentos de alto índice glicêmico são digeridos mais rapidamente sendo necessário liberar maior quantidade de insulina para normalizar a glicemia sanguínea. Quando os níveis de açúcar se elevam excessivamente há maior tendência do organismo armazenar gordura, favorecendo o aumento de peso. Os alimentos IG, proporcionam uma sensação de saciedade mais duradoura, contém fibras que auxiliam no funcionamento do intestino e são fontes de energia, importante para não ficarmos desanimados, cansados e desistirmos da dieta.

Até 55 baixo índice glicêmico.

Alimentos com baixo teor glicêmico

Cenoura crua (16), Brócolis, pepino, berinjela, espinafre, alface, tomate e repolho (20),Lentilhas (38), Ravióli integral, leite integral e abobrinha (39), Batata-doce e feijão-manteiga (44), Pão integral, ervilha fresca e iogurte com açúcar (48), Maçã (52), Aveia (55),Amendoim (21).

Quando estamos de dieta acreditamos que se comermos um prato de macarronada com carne e salada engordaremos. Mas não é o que acontece, um prato de macarronada com carne e queijo, por exemplo engorda menos que um prato de macarronada pura, isso porque as proteínas e gorduras ajudam a regular a digestão, reduzindo a absorção do amido presente no macarrão, além de proporcionar maior saciedade. Prefira sempre alimentos integrais, a massa deve ser integral.

Alimentos ricos em fibras solúveis: No intestino, a fibra solúvel tem a propriedade de diminuir parte da absorção da gordura e do açúcar presente nos alimentos, elas colaboram com o controle e até mesmo na redução nos níveis colesterol sérico, triglicérides, redução da insulina no sangue.

Alimentos: Cenoura, abacaxi, bergamota, manga, maçã, laranja, grão de bico, feijão, lentilha, legumes como ervilha, e farelo de aveia.

Geralmente recuperamos o peso perdido porque não tratamos a causa. Para que não voltemos a engordar é necessário uma mudança nos hábitos e alimentares e físicos. Se conseguimos perder o peso rapidamente com certeza recuperaremos, pois o organismo demora para se acostumar com novos hábitos. Muitas vezes nosso aumento de peso é originado por outros motivos que não somente excesso de alimentos. Pode estar relacionado a fatores psicológicos e distúrbios hormonais.

Consulte um médico para ele avaliar o que pode estar errado e ocasionando o aumento de peso.

Faça um Comentário

Leia também esse artigo: