Dietas

Dieta Mediterrânica

A dieta mediterrânica, ou  mediterrânea não é tal como as outras, uma dieta alimentar específica para perder ou ganhar peso, não é melhor ou pior que outras, mas sim completamente diferente. É um conjunto de hábitos alimentares saudáveis.

O médico Ancel Keys durante um estudo na década de 40, constatou que nos países do Mediterrâneo além das doenças cardiovasculares serem em número muito reduzido, outro tipo de doenças como hipertensão, arteriosclerose, obesidade, diabetes, existiam em percentagens muito baixas quando comparadas com outros países da Europa Central e Estados Unidos da América. Conclui que a diferença nestes países banhados pelo mar Mediterrâneo se devia à tradição alimentar que os caracteriza e a que deu o nome de Dieta Mediterrânica.

Mas ser um seguidor da dieta mediterrânica significa saber escolher o que se come e o que se deve evitar. São de evitar todo o tipo de gorduras saturadas, muito responsáveis pelos níveis de mau colesterol. As carne vermelha, os doces e açúcares não são proibidos, mas o consumo deve ser bastante moderado.

A dieta mediterrânica é um elemento cultural muito importante deve ser iniciada e seguida o mais cedo possível. Os pais devem alterar os seus hábitos alimentares e transmiti-los às crianças para que estas aprendam a evitar produtos alterados e consumam alimentos frescos e naturais tais como fruta por exemplo, alimento cada vez mais esquecido pelas crianças hoje em dia. Esta dieta, aliada a exercício físico regular ajuda a manter os níveis de colesterol previne a obesidade e as doenças do coração, derrames cerebrais e cancro.

Dieta Mediterrânica

Os alimentos

Os principais aspectos dessa dieta incluem o consumo elevado de azeite e legumes, cereais refinados, frutas , vegetais e peixe, o consumo moderado de laticínios (principalmente queijo e iogurte), baixo consumo de carnes e derivados, e o consumo moderado de vinho tinto. É portanto, uma dieta rica em gorduras saudáveis, ácidos graxos ômega 3, proteínas do peixe e vitaminas antioxidantes.

Azeite de oliva

O principal ingrediente da Dieta Mediterranica é o azeite extra-virgem. Ele é o mais puro e contém os antioxidantes da azeitona. O azeite reduz o mau colesterol LDL devido à grande quantidade de gordura monoinsaturada que o caracteriza. É ainda rico em polifenóis, que reduzem a formação de radicais livres responsáveis pelo envelhecimento e doenças degenerativas. A gordura do azeite de oliva, além dos benefícios para a saúde é excelente para dar sabor à comida servindo de tempero das mais variadas formas, contribui para aumentar a saciedade e facilita a digestão estimulando o funcionamento dos intestinos.

Dieta Mediterrânica1

 

Frutas e vegetais

É do conhecimento geral que o consumo de alimentos que contenham vitamina A, vitamina C, betacaroteno, antioxidantes, pode reduzir o risco de contrair várias doenças, entre elas, certos tipos de cancro. Na dieta mediterrânica estes são também alimentos consumidos em grande escala, nomeadamente frutas, vegetais folhosos coloridos e tomate, este usado em variados pratos, nomeadamente saladas e molhos.

Peixes gordos

 

O consumo de os peixes gordos, como a sardinha, o atum, o salmão, a cavala, a truta, etc apresenta importantes benefícios para a saúde, pois estes peixes são ricos em ácidos ómega-3, vitaminas lipossolúveis como as vitaminas A, D, E e K, e iodo. O consumo de peixe para além de ser benéfico para o aparelho circulatório, é também um excelente para a saúde dos ossos, ajudando na absorsão e fixação do cálcio nos ossos.

Vinho com moderação

Centenas de estudos vêm demonstrando os benefícios do vinho tinto para a saúde. Ao longo dos últimos anos têm sido realizados estudos por dezenas de universidades pelo mundo e indicam que beber vinho tinto de forma moderada é saudável para o organismo. O vinho tinto, contém uma vasta gama de compostos vegetais que apresentam características benéficas para a saúde, entre eles os flavonóides e o resveratrol, que poderá ser o responsável pelos efeitos anti-cancer. Os flavonóides são substâncias antioxidantes conhecidas por aumentarem o colesterol HDL e diminuirem o risco de aterosclerose. Na dieta mediterrânica, aconselha-se o consumo de vinho tinto de forma moderada e nas principais refeições.

Em suma, a dieta mediterrânica não consiste no consumo de certo tipo de alimentos, ou na abstinência em relação a outros, mas sim na conjugação e combinação de todos os ingredientes da alimentação mediterrânica. Aliando sempre a alimentação a uma vida mais descontraída e actividade física podemos encontrar um estilo de vida mais saudável.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *